A israelense Teva Pharmaceutical Industries e a britânica Mylan mostraram interesse preliminar na fabricante brasileira de medicamentos genéricos Laboratório Teuto, uma joint-venture em que a Pfizer tem 40 por cento de participação, afirmaram duas fontes com conhecimento do processo.

A indiana Sun Pharmaceutical Industries e três fundos de private equity também estão de olho na Teuto, afirmaram as fontes. A família brasileira Melo tem 60 por cento da empresa.

Após decidirem sair da Teuto há dois meses, tanto a família Melo quanto a Pfizer contrataram o banco de investimento do Goldman Sachs e o BTG Pactual para assessoria, disseram as fontes. Não há um prazo definido ainda para o envio das ofertas pela Teuto, acrescentaram.

Representantes da Teuto e da Pfizer não comentaram o assunto. Em resposta enviada por email à Reuters, a Teva afirmou que “não comenta rumores de mercado”. Já Sun Pharmaceutical, Mylan, Goldman Sachs e BTG Pactual não se manifestaram de imediato.

As fontes não comentaram os detalhes de preço que a família Melo e a Pfizer querem pela Teuto. A Pfizer pagou cerca de 240 milhões de dólar

Fonte – Portal UOL

Compartilhe esta matéria