A falta de segurança que tem vitimado o comércio e a população de Curitiba, região metropolitana e demais cidades paranaenses foi abordada pelo presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos do Estado, Edenir Zandoná Júnior, em reunião do Conselho Temático de Desenvolvimento das Cidades, realizada na última quinta-feira (25), na sede da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep).

Sindifarma - segurança 3

Falando especialmente do segmento de farmácias, que vem registrando de 12 a 14 assaltos por dia, ele salientou a necessidade de uma ação mais efetiva de combate à criminalidade e alertou sobre o risco constante aos funcionários e consumidores dos estabelecimentos.

Caso recente ocorrido no município de Contenda, da morte de um farmacêutico após assalto ao estabelecimento de sua propriedade, foi citado por Zandoná, que também é farmacêutico e vive de perto a realidade do setor.

Palestrante no evento, o tenente-coronel Marcos Antônio Wosny Borba, do 2º Comando Regional da Polícia Militar do Paraná, que representou o comando da corporação e fez uma reflexão sobre o crime no Brasil e no mundo, afirmou, em resposta, que a polícia tem limitações.

Sindifarma - segurança 1

De acordo com o militar, porém, é importante que continuem sendo registrados boletins de ocorrência e que seja cobrada das organizações a realização de reuniões comunitárias. Para ele, é preciso união para trabalhar a quebra do ciclo de violência, com a análise da causa e não somente do efeito.

O tenente-coronel apresentou dados gerais do país e do Paraná e sugeriu como medidas de curto prazo para conter a violência a criação de um grupo multidisciplinar sobre o tema segurança pública, a elaboração de diagnóstico e definição de objetivos, além da criação de projetos de mudança. A médio e longo prazos, a consolidação do modelo proposto. Como estratégias, defendeu a ênfase em prevenção e profissionalização da gestão pública para o século XXI.

Hoje, o custo da violência no Brasil representa 14% do Produto Interno Bruto (PIB), o equivalente a R$ 5.643,00 por pessoa ao ano.

O Conselho Temático de Desenvolvimento das Cidades foi criado em 2010 pela Fiep para elaborar propostas voltadas ao desenvolvimentos das cidades, incluindo-as em seus Planos Diretores, com foco no setor empresarial. Integram o grupo industriais, representantes de sindicatos empresariais de diversos setores, como o Sindifarma-PR, de universidades e faculdades, do governo, além de membros dos demais conselhos temáticos e setoriais da entidade.

A próxima reunião está agendada para o dia 29 de novembro, às 14h30.

Fotos – Fiep

Compartilhe esta matéria