A Sanofi acaba de receber aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para Toujeo, uma insulina basal de última geração para o tratamento do diabetes mellitus tipo 1 e tipo 2 em adultos. Toujeo proporciona ação estável e prolongada além de 24 horas, permitindo o controle glicêmico desses pacientes.

A aprovação da Anvisa para Toujeo representa um marco para a Sanofi, ampliando seu portfólio de soluções integradas para pacientes com diabetes no Brasil. Toujeo chegará ao mercado em solução injetável (300U/mL) com aplicação via caneta descartável (Solostar®), oferecendo a pacientes e médicos uma nova opção para gerenciar a doença.

A aprovação de Toujeo se baseou nos resultados do programa de estudos clínicos EDITION, que avaliou sua eficácia e segurança em comparação com insulina glargina em mais 3.500 adultos com diabetes tipo 1 ou 2, não controlados pela terapia atual. O controle da glicemia com Toujeo foi comparável à insulina glargina 100 U/mL, com perfil de segurança favorável. A incidência de episódios de hipoglicemia confirmada foi menor com Toujeo, a qualquer hora do dia ou à noite, em comparação com insulina glargina 100 U/mL em pessoas com diabetes tipo 2, mantidos por 12 meses. Toujeo também demonstrou controle glicêmico mais estável e previsível, com baixa variabilidade intraindividual, com duração superior a 24 horas em comparação com insulina glargina 100 U/mL em pessoas com diabetes tipo 1.

Apesar de há décadas a insulina basal ser um pilar no tratamento do diabetes, há importantes necessidades médicas não atendidas, pois cerca de metade dos pacientes em tratamento não atingem seu alvo de glicemia. Além disso, a dose ideal de insulina, muitas vezes, não é alcançada durante a fase inicial ou de manutenção do tratamento. Toujeo é uma insulina basal de última geração, administrada uma vez por dia, formulada com uma molécula amplamente utilizada (insulina glargina) com perfil de risco e benefício bem estabelecido.

A hipoglicemia (queda do nível glicêmico no sangue) é um dos eventos adversos mais comuns em pacientes que utilizam insulina. Efeitos de longo prazo de episódios de hipoglicemia incluem ganho de peso, aumento do risco cardiovascular, redução da função cognitiva e até demência. Por isso, manter o nível glicêmico controlado é tão importante para o paciente com diabetes.

Segundo a Federação Internacional de Diabetes (IDF), há mais de 382 milhões de adultos com diabetes no mundo. De acordo com o Ministério da Saúde, 9,7% da população brasileira com mais de 35 anos é portadora de diabetes tipo 2. Em geral, apenas 36% dos pacientes com o tipo 2 e 21% do tipo 1 conseguem manter o nível glicêmico sob controle.

Fonte – Sanofi

Compartilhe esta matéria