A Merck e o MD Anderson Cancer Center, da Universidade do Texas, anunciaram uma colaboração estratégica de três anos com o objetivo de acelerar o desenvolvimento de terapias para os cânceres de mama, colorretal, gliobastoma e leucemia. Essa iniciativa faz parte de um compromisso global da Merck no combate ao câncer. A Unidade de Negócios de Oncologia da empresa já está se preparando para lançar Avelumabe globalmente (ainda não registrado no Brasil pela Anvisa) e, ainda que este produto já seja um grande marco, os avanços e pesquisas para tratar o câncer não pararam por aí: com a parceria, o foco será o desenvolvimento de três compostos do pipeline Merck: (anti-PD-L1/TGF-β trap), M9241 (NHS-IL-12) and M2698 (dual p70S6K and Akt inhibitor).

A Merck será a primeira empresa a ter acesso à plataforma de pesquisa APOLLO (Adaptive Patient-Oriented Longitudinal Learning and Optimization) do MD Anderson, que faz parte do Programa Moon Shots. A APOLLO padroniza o histórico médico de longo prazo dos pacientes, inclusive dados derivados de amostras de tecido para melhor entender a biologia do câncer.

“Trabalhar com o MD Anderson e os dados disponíveis da APOLLO para identificar biomarcadores de resposta e resistência nesses quatro tipos de câncer permitirá implementar estudos clínicos e desenvolver nossos compostos mais rapidamente”, explicou Belén Garijo, CEO de Healthcare e membro do Conselho Executivo da Merck. “O desenvolvimento de novas terapias, especialmente para os cânceres difíceis de tratar, como os que iremos focar, requer o equilíbrio adequado entre inovações e com base na experiência de parceiros externos para acelerar esse processo”, continua. “Esta colaboração é um grande exemplo de como estamos derrubando as barreiras para realizar o nosso compromisso de oferecer cuidados mais significativos a partir de abordagens criativas e científicas para trazer novas terapias para as pessoas que convivem com câncer”, finalizou e CEO.

Fonte – Snif Brasil

Compartilhe esta matéria