Mesmo diante de um cenário de recessão econômica no Brasil, o laboratório farmacêutico Servier pretende reforçar sua presença no país e transformar o mercado brasileiro em um dos cinco maiores da empresa no mundo. Serão lançados nos próximos cinco anos mais 15 medicamentos para as áreas de diabetes, hipertensão, insuficiência cardíaca e oncologia. A expectativa é atingir um faturamento de R$ 2 bilhões no mercado brasileiro em dez anos, já que o Brasil é um país estratégico, por ter uma população que cresce e que está envelhecendo. Além disso, há cada vez mais acesso aos serviços de saúde.

Por isso, a Servier espera contratar, ao menos, 200 novos colaboradores, um aumento de 33% no atual quadro de 600 funcionários. As vagas serão distribuídas na sede, no Rio de Janeiro, e também em posições nas demais regiões do país. A fábrica da Servier, no bairro de Jacarepaguá, no Rio, tem capacidade para produzir 500 milhões de comprimidos por ano. De origem francesa, o Grupo comemorou os 40 anos no Brasil este ano.

O Grupo Servier possui um modelo de negócios diferente. Seu fundador, Jacques Servier, transformou o laboratório em uma fundação privada, sem fins lucrativos, queinveste 100% do lucro em pesquisa e desenvolvimento. Em 2015, a Servier faturou R$ 262 milhões no país, mas tem planos de aumentar esse número para R$ 305 milhões já este ano e atingir os R$ 810 milhões em 2021. Todo ano, cerca de 25% do faturamento é investido em inovação, sem que haja qualquer distribuição de dividendos. O colaborador que pretende trabalhar no laboratório deve compartilhar dos princípios e acreditar no trabalho constante atrás de novos medicamentos, como forma de salvar vidas das pessoas. As grandes áreas de atuação da Servier são em oncologia, cardiologia, diabetes e produtos inovadores.

Fonte – Snif Brasil

Compartilhe esta matéria