A economia brasileira vai sair da crise mais rápido e com mais força do que se imagina e os setores de saúde e educação vão crescer mais do que os outros. Esta é a previsão do economista Ricardo Amorim, que participou nesta terça-feira (7) de encontro do Sindusfarma e da Abiquifi que discutiu as perspectivas da indústria farmacêutica no país. Segundo Amorim, os investimentos estrangeiros em atividades produtivas estão voltando, o mercado de trabalho já está se recuperando, a taxa de juros vai “despencar” e o consumo será retomado, pois, ao contrário do que se noticia, o consumidor brasileiro não está muito endividado. “O Brasil vai colocar no mercado de 30 a 35 milhões de pessoas na classe média nos próximos anos”, acredita o economista. Este contexto é especialmente favorável para o setor farmacêutico.

Eficiência

O coordenador do programa BCO Farma, Fábio Bussinger, fez um balanço dos resultados do painel de eficiência operacional que reúne grandes laboratórios farmacêuticos com produção local. Em 2016, as 15 empresas participantes registraram aumento de 8% em sua produtividade operacional geral. A ferramenta de melhoria de competitividade da indústria farmacêutica foi lançada em 2015 por Abiquifi e Sindusfarma, com o apoio da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

O chefe do Departamento do Complexo Industrial e de Serviços de Saúde do BNDES, João Paulo Pierone, disse que a nova agenda de longo prazo da instituição visa induzir a competitividade internacional do setor e ampliar o acesso à saúde dos brasileiros. “Queremos promover a integração virtuosa entre indústria e serviços de saúde e priorizar o desenvolvimento de produtos de interesse público”.

Inovação

O chefe de Departamento do BNDES também destacou os objetivos de fortalecer o ecossistema de inovação e promover a maior integração das empresas do setor nas cadeias globais. Segundo Pierone, entre 2003 e 2014, os investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) feitos pela indústria farmacêutica cresceram muito mais do que os da indústria de transformação.

O encontro Operações Farma Convention 2017 foi aberto pelo presidente executivo do Sindusfarma, Nelson Mussolini, e pelo membro do Conselho Deliberativo da Associação Brasileira da Indústria Farmoquímica e de Insumos Farmacêuticos (Abiquifi), Walker Lahmann.

Fonte – Snif Brasil

Compartilhe esta matéria