Nelson Mussolini, presidente-executivo do Sindusfarma, está defendendo a prorrogação por três anos a implementação do sistema nacional de rastreabilidade de medicamentos, que permitirá a localização dos produtos através da captura, armazenamento e transmissão eletrônica de dados.

Segundo ele, o motivo da reivindicação é a complexidade tecnológica do sistema, que exige grandes ajustes operacionais e altos investimentos das empresas, além a existência de lacunas na regulamentação. “Nos Estados Unidos, a rastreabilidade de medicamentos será introduzida num prazo de 10 anos”, diz Mussolini.

fonte – IstoÉ Dinheiro

Compartilhe esta matéria